Em 2007, e-commerce cresce 40% e soma R$ 6,2 bilhões, diz e-bit

São Paulo – Número de pedidos feitos online em 2007 chegou a 20,4 milhões, 5,6 milhões a mais do que em 2006, afirma o 17º WebShoppers.

Em 2007, o comércio eletrônico registrou 40% de crescimento em comparação com 2006, somando 6,2 bilhões de reais, revelou o 17º relatório WebShoppers, da consultoria e-bit, nesta terça-feira (11/03).

O total de pedidos feitos pela rede no ano passado chegou a 20,4 milhões, em torno de 5,6 milhões de pedidos a mais do que os registrados em 2006. Segundo o levantamento, em 2007, 9,5 milhões de brasileiros compraram online ao menos uma vez.

O tíquete médio das compras no período foi de 302 reais. O valor aumentou para 308 reais no período natalino – a data foi a que mais se destacou, faturando 1,08 bilhão de reais.

A estimativa da e-bit para o faturamento no primeiro semestre de 2008 é de 3,8 bilhões de reais, 45% a mais que no mesmo período de 2007, no qual o e-commerce atingiu 2,6 bilhões de reais.

A pesquisa também aponta que o número de consumidores online saltará para 10,5 milhões no primeiro semestre de 2008, contra os 8,1 milhões neste período em 2007.

A categoria que mais vendeu no ano passado foi Livros e Assinaturas de Revistas e Jornais, com 17% do total. Informática seguiu no ranking, com 12%, e depois vieram os Eletrônicos (9%), Saúde e Beleza (8%) e Telefonia Celular (7%).

A compra de Roupas e Acessórios ainda não é sucesso entre os internautas: apenas 11% dos consumidores online compraram produtos de vestuário no último semestre de 2007.

No Natal, os produtos da categoria Informática foram os mais buscados (15%), seguidos pelos Eletrônicos (6,5%), Eletrodomésticos (6,2%) e Telefonia (5,5%).

Por outro lado, 43% dos usuários pesquisam ou compram imóveis pela web. O site mais consultado é o Imovelweb, com 42% do total das buscas.

A consultoria aposta no sucesso de vendas de eletrônicos – como MP3 players e TVs LCD e de Plasma – e artigos de informática no primeiro semestre de 2008.

Os usuários que compram pela web, segundo a e-bit, conhecem apenas as medidas de segurança mais tradicionais, como o uso de senhas (92%), certificados digitais (86%) e firewalls (82%).

A recomendação de um amigo ou comentários de outros usuários são fator relevante para 42% dos compradores se sentirem seguros em transações online.

Fonte: IDG Now

Rogerio Gomes

um comentário

  1. Muito bom o conteudo do site e à proposta da consultoria gratuita.

    continue assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *